domingo, 21 de dezembro de 2008

2 comentários:

Flor disse...

Este poema foi presente de um amigo poeta que tem o dom das palavras, ele me presenteou e eu aqui o público.

Anônimo disse...

ISOLADOS DO MUNDO...


Perdidos e amantes numa praia - a mais deserta -
Por testemunha o céu, gaivotas e a areia quente,
Nada para lembrar, eu e tu vivendo este presente...
Numa manhã quente, à luz do sol, a poesia certa.

Entre olhares, desejos, nos amamos perdidamente.
E a natureza vibrando nesse instante o momento.
Em que dois corpos, eu e tu, rendem-se ao vento.,
Dando-se por inteiro nas carícias, freneticamente.

Passamos horas assim, alheios a tudo em volta,
Pondo em prática devaneios que a imaginação solta,
Espraiado o mar, vem lamber em ondas nossos corpos nus,

Sonho bom que desfrutamos, e a um Oásis nos conduz...
Ao olimpo dos amantes, sem angústias, sem revolta,
Celebração de um paraíso pleno de paz, amor e luz...

Beijos minha linda flor
Geraldo